Fronteiras do conhecimento em Geociências

Resumo do projeto Print "Fronteiras do conhecimento em Geociências: desafios contemporâneos e impacto global"

Seguem as pesquisas relacionadas ao Planeta Terra e às mudanças derivadas da sua evolução. TRANSFORMAÇÕES DA TERRA NA TRANSIÇÃO NEOARQUEANO – PALEOPROTEROZÓICO: IMPLICAÇÕES PARA VIDA. Pretende-se combinar evidências de campo com ferramentas de alta resolução analítica e espacial em rochas e minerais do Brasil associadas a esta transição ocorrida entre 2,8 e 1,6 Ga; contribuindo para a compreensão dos processos responsáveis pelas mudanças tectônicas, metalogenéticas e paleoambientais. CRATERAS DE IMPACTO E GEOLOGIA PLANETÁRIA. América do Sul possui o menor número de crateras de impacto conhecidas, o que resulta num grande potencial de descobertas dessas estruturas. Serão estudadas crateras e evidências que levem à descoberta de crateras novas, contribuindo para estudos de análogos planetários. SISTEMAS DEPOSICIONAIS EXTREMOS. Estudo de ambientes extremos, ou hoje inexistentes, a partir de registros pré-cambrianos e/ou extremos atuais no Brasil, Índia e Espanha para definição das geometrias de corpos sedimentares. Com finalidade de prever mudanças após drásticas variações da cobertura vegetal, atmosfera e temperatura global, e a sua comparação com sistemas deposicionais extraterrestres. EVOLUÇÃO E FOSSILDIAGÊNESE DE COMUNIDADES PALEOZÓICAS. Estudo de comunidades fósseis, bioassinaturas e icnofósseis. As pesquisas serão realizadas com abordagem inovadora e poderão desenvolver equipamento para captura de informações morfológicas. Serão aplicadas diferentes técnicas de análises químicas para caracterização fossildiagenética. EVOLUÇÃO GEOQUÍMICA, MINERALÓGICA E MICROBIOLÓGICA DE SOLOS TROPICAIS EM ÁREAS ÚMIDAS. A evolução de solos tropicais tem influência na evolução do planeta. Serão investigados Plintosolos do Brasil e da África em áreas agrícolas. São duas frentes de pesquisas, uma relacionada a estudos mineralógicos e geoquímicos com radiação Síncrotron e outra relacionada a microrganismos anaeróbios e compostos orgânicos com uso de experimentação e ressonância magnética nuclear. COMUNIDADES E CIDADES RESILIENTES – MAPEAMENTO E GESTÃO DAS VULNERABILIDADES TERRITORIAIS. O estudo das vulnerabilidades e o histórico das populações em áreas de risco permite fornecer resiliência e melhoramento dos locais que habitam. O objetivo reside no entendimento da resiliência em desastres naturais de comunidades de Campinas, SP, por meio da construção de diagnóstico e prognóstico, com participação da população local, bem como implementação de programas de monitoramento.

Vigência: 01/08/2018 a 31/07/2022

Para ver alguns resultados do projeto, clique aqui.