PPG-Geociências
Nome Descrição
Análise de bacias sedimentares

Tem como finalidade o estudo dos aspectos que controlam a história geológica do preenchimento de uma bacia sedimentar. Os objetivos específicos desta linha são: a) aplicação dos conceitos sedimentológicos e estratigráficos na reconstrução geométrica dos corpos sedimentares, b) análise seqüencial das sucessões sedimentares, c) reconstrução dos mecanismos geotectônicos de gênese e evolução da bacia, d) bioestratigrafia e análise taxonômica e tafonômica, e) paleoecologia, f) análise geofísica e sensoriamento remoto das estruturas tectônicas e sedimentares, g) avaliação da incerteza dos recursos econômicos nas bacias sedimentares, h) estudo de proveniência das fontes terrígenas mediante análises petrográficas e razões isotópicas em grãos detríticos de minerais pesados, i) análise dos processos diagenéticos.

Evolução crustal e metalogênese

A linha de pesquisa enfatiza a evolução geológica do território brasileiro, de outros países das Américas Central e do Sul e de outros continentes, nas escalas regional e local, com o objetivo de definir os fatores que controlam a gênese de rochas e depósitos minerais, buscando utilizar esse conhecimento para entender os processos geodinâmicos e estabelecer modelos genéticos que possam subsidiar a exploração mineral. Os pesquisadores desta linha utilizam métodos e técnicas variadas, como mapeamento geológico, geocronologia, petrologia, geoquímica de elementos maiores e traços em rochas e minerais, geoquímica de isótopos estáveis e radiogênicos, inclusões fluídas, geologia estrutural, estratigrafia, sedimentologia, geofísica e sensoriamento remoto, necessários para compreender a evolução da crosta terrestre e os controles geológicos que determinam a situação, localização e o valor econômico de recursos minerais.

Geoquímica ambiental e analítica

Contempla estudos integrados de regiões e bacias hidrográficas fazendo uso de abordagens geoquímicas, geofísicas e ecotoxicológicas. São enfatizados os estudos de geoquímica ambiental em áreas de mineração, urbanas e rurais, monitoramento da radiação natural, uso de sistemas geográficos de informação, a avaliação dos efeitos da poluição na saúde humana e a aplicação de tecnologias de mitigação e remediação ambientais. Pesquisas experimentais em geoquímica analítica são parte integrante desta linha abrangendo o desenvolvimento de métodos de análise de matrizes sólidas, líquidas e orgânicas bem como o esclarecimento da natureza e cinética dos processos geoquímicos. O uso de recursos naturais e seus efeitos nos ecossistemas e agrupamentos humanos são também enfocados.

Geotecnologias aplicadas ao estudo dos recursos naturais

A linha enfoca métodos e técnicas de extração e análise de informações sobre os recursos naturais a partir de imagens de satélite, dados aerogeofísicos e geoquímicos, bem como de análise espacial integrada dos mesmos utilizando sistemas de informações geo-referenciados (SIG). As pesquisas desenvolvidas no âmbito desta linha são voltadas para o desenvolvimento e a aplicação de técnicas de análise quantitativa e qualitativa de processamento de informações espacializadas, tais como processamento digital de imagens de sensoriamento remoto, geoestatística e sistemas especialistas. Os resultados dessas pesquisas são aplicados na indústria mineral e de petróleo/gás, mais especificamente na exploração (busca de novas jazidas desses bens minerais), bem como na análise geo-ambiental voltada aos recursos naturais.

Política e gestão de recursos naturais

Esta linha de pesquisa tem por objetivo contribuir para o estudo de atividades relacionadas ao uso e à gestão de recursos naturais energéticos e hídricos, e à gestão urbana e territorial, do ponto de visto geocientífico. Estas atividades visam a prevenir, controlar e mitigar impactos deletérios para a sociedade e o meio ambiente, assim como propor políticas e ações para os diferentes atores sociais envolvidos. Do ponto de vista do desenvolvimento sustentável, é desejável a otimização do uso e aproveitamento dos recursos naturais e do meio físico. Parte-se da premissa que a política e legislação de recursos naturais e de ocupação territorial devem propiciar a transferência dos benefícios de seu uso e aproveitamento para a sociedade. Por outro lado, a distribuição irregular dos recursos naturais tem adquirido importância crescente nos últimos anos, o que demanda a integração de políticas regionais, nacionais e internacionais. Isso inclui também a divulgação do conhecimento científico a diferentes públicos (população em geral ou grupos sociais específicos, por exemplo, técnicos de prefeitura ou professores), trabalhando na interface entre o conhecimento científico e a educação ambiental.